A Grécia recorreu a um fundo de emergência depositado no Fundo Monetário Internacional para pagar os 750 milhões de euros, valor do reembolso que vencia esta terça-feira, revelou fonte do Banco da Grécia.

Atenas corre o risco de entrar em default, numa altura em que as ajudas dos credores internacionais continuam suspensas à espera de um acordo no seio do Eurogrupo.

Os países-membros do FMI têm de ter uma conta junto do fundo, que pode ser usada para emergências, mas o dinheiro só pode ser usado com autorização dos credores.

Segundo a Reuters, Atenas usou 650 milhões de euros dessa conta e 100 milhões de reservas monetárias para fazer o pagamento ao FMI.

O Fundo Monetário Internacional já avisou o Eurogrupo que não quer participar num possível terceiro resgate à Grécia, que totalizaria até 50.000 milhões de euros e que seria vital para a sobrevivência do país, segundo o El Mundo. 

Esta quarta-feira a reunião do Eurogrupo  voltou a terminar sem acordo entre os credores e a Grécia. E levou o ministro das Finanças grego, Yannis Varoufakis, a admitir a situação "difícil" em que se encontra o país. Enquanto não houver acordo, a ajuda financeira continua suspensa.