O governo grego poderá convocar eleições antecipadas se os credores internacionais não forem mais flexíveis com as exigências de reformas no país, admitiu esta sexta-feira Dimitris Stratoulis, o ministro da Segurança Social grego, citado pela Reuters.

“Os credores querem impor medidas duras. Se não recuarem neste pacote de chantagem o governo vai ter de procurar soluções alternativas, eleições”

Stratoulis está próximo da fação mais extremista do Syriza, e não é líquido que esta seja a visão geral dentro do partido. Denota, no entanto, a insatisfação com as exigências dos credores e cresce a expetativa de que o governo vai procurar alternativas para não aceitar o plano do Grupo de Bruxelas.

A Grécia não vai pagar ao FMI a tranche de 300 milhões de euros do reembolso que vencia esta sexta-feira. pediu autorização à instituição para fazer o pagamento do total do reembolsos de junho, no valor de 1,6 mil milhões de euros.