O ministro Adjunto e do Desenvolvimento Regional considerou que a «Grécia é um problema da Grécia e da Europa ao mesmo tempo», esperando que seja possível compatibilizar a vontade do povo grego com os restantes 27 Estados.

«Do ponto de vista da Grécia, espero que seja possível compatibilizar a vontade política democrática do povo grego com a vontade política democrática dos outros 27 povos europeus», afirmou Miguel Poiares Maduro em entrevista à Lusa.

«Isso exige que, em primeiro lugar, a Grécia também tenha perceção que para se conseguir ser influente na Europa é preciso ganhar credibilidade primeiro junto dos seus parceiros», adianta Poiares Maduro. E o ministro diz que espera que isso venha a acontecer «porque é isso que Portugal conseguiu e é isso que se a Grécia vier a conseguir» colocará o país «em condições de, o mais rapidamente possível, poder também vir a recuperar economicamente e começar a melhorar as condições de vida do povo grego», considerou.

No contexto europeu atual, «a Grécia tem de funcionar com a Europa tal como ela é e não como nós gostaríamos que ela fosse. E quanto mais sucesso tivermos a funcionar com a Europa tal como ela é, mais credibilidade e autoridade teremos na Europa para defender uma Europa diferente para o futuro», disse.

«Foi isso que Portugal percebeu e acho que foi isso que Portugal fez muito bem ao longo destes quatro anos», acrescentou.