O sistema bancário grego não enfrenta qualquer ameaça iminente à estabilidade para necessitar de uma intervenção do governo.

Fonte do governo de Tsipras adiantou à Reuters que o executivo está a trabalhar de perto com o Banco Central Europeu.

A mensagem surge depois de vários dias de fugas de depósitos, com os gregos a levantar dinheiro em massa. Em poucos dias “desapareceram” quatro mil milhões de euros dos bancos, aumentando receios de que o governo tenha de impor o controlo de capitais para assegurar a estabilidade do sistema financeiro.

Já esta segunda-feira o conselho de governadores do BCE voltou a aumentar o financiamento de emergência à banca grega, em mais de mil milhões de euros.

O primeiro-ministro grego disse esta segunda-feira em Bruxelas, que é tempo de encontrar uma "solução substancial" que permita à Grécia voltar ao crescimento dentro da zona euro.

Os líderes da zona euro não deverão tomar uma decisão formal sobre a Grécia esta segunda-feira, sublinhou a chanceler alemã Angela Merkel, lembrando que a semana ainda agora começou.