A Grécia apresenta esta quinta-feira aos seus credores, em Bruxelas, uma lista das reformas que conta adotar para tentar desbloquear o financiamento ao país, refere um comunicado do Governo.

Segundo fonte europeia, a reunião do Grupo de Bruxelas, composto por representantes dos credores e do Governo grego, começou ao fim da manhã. O grupo deve trabalhar até domingo, com uma agenda definida para cada dia.

Margaritis Schinas, porta-voz da Comissão Europeia, falou em "ambiente construtivo" e disse esperar "compromissos concretos do lado grego".

Atenas fez esta semana uma remodelação na equipa negocial, devido ao isolamento do ministro das Finanças grego, Yanis Varoufakis, no seio do Eurogrupo.

O avanço das negociações com os credores figura na agenda da reunião ministerial de hoje, presidida pelo primeiro-ministro, Alexis Tsipras.

Entre as reformas que o Governo conta finalizar para aumentar as receitas públicas, figura uma taxa entre um e cinco euros por pernoita em hotéis das ilhas turísticas e uma taxa de 3% nos restaurantes e bares de luxo das ilhas no período entre 01 de abril e 31 de outubro, segundo o jornal Ta Nea.

Estas medidas podem render 1,3 mil milhões de euros, de acordo com o jornal Kathimerini.

"O Governo grego está pronto para uma solução honesta com os credores que permita desbloquear a ajuda e pôr fim à asfixia financeira causada pelos memorandos", disse esta quinta-feira o ministro das Finanças, em declarações a uma rádio.

Atenas enfrenta problemas de liquidez devido a um impasse nas negociações com os credores (Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional) que tem atrasado a transferência para os cofres gregos de uma parcela de 7,2 mil milhões de euros do empréstimo concedido em 2012.

Este financiamento é considerado vital para a Grécia cumprir as suas obrigações financeiras.