A Alemanha pede à Grécia que apresente propostas concretas até à reunião do Eurogrupo na próxima quarta-feira, indicou o porta-voz do ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schäuble.

«Até lá, o Governo grego deve apresentar uma proposta sobre como as coisas devem continuar», declarou Martin Jäger, na habitual conferência de imprensa do Governo.

O presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, anunciou a realização de uma reunião extraordinária de ministros das Finanças da zona euro sobre a Grécia, quando o atual programa de assistência financeira ao país termina no final de fevereiro, após um prolongamento de dois meses.

A União Europeia quer convencer a Grécia a pedir uma extensão para evitar a falência do país e o pânico nos mercados.

«Não é claro neste momento qual é a posição exata do Governo grego sobre as questões discutidas» e sobre o que deve acontecer nas próximas semanas quando se aproxima o fim do programa», acrescentou o porta-voz de Schäuble.

O ministro alemão, grande defensor do rigor orçamental, teve a sua primeira reunião com o novo ministro das Finanças grego, Yanis Varoufakis, na quinta-feira, em Berlim.

Sem surpresa, os dois responsáveis assumiram as divergências, com Schäuble a mostrar o seu ceticismo em relação a algumas medidas do Governo grego de esquerda radical (que se opõe à austeridade) e Varoufakis a pedir tempo e um programa transitório para evitar o colapso financeiro do país.

Antes da reunião extraordinária do Eurogrupo, há um encontro de ministros das Finanças do G20 na segunda e na terça-feira em Istambul.

«A Grécia não figura naturalmente na ordem do dia oficial, mas a situação poderá ser abordada nos encontros bilaterais», afirmou Jäger.