O Fundo Monetário Internacional não vai permitir que a Grécia adie o pagamento. O reembolso de 1,6 mil milhões de euros vai ter mesmo de ser feito por Atenas até ao final de junho, afirmou Christine Lagarde.

“Ficará em incumprimento a 1 de julho, mas espero que não seja esse o caso”


Lagarde falava aos jornalistas depois de uma reunião com o ministro das Finanças do Luxemburgo.

“Não há adiamentos, como já vi aqui e ali”


A responsável do FMI sublinhou que é a reforma do sistema de pensões da Grécia é uma questão crítica para chegar a um acordo com Atenas, mas garantiu que as pensões mais baixas serão protegidas.

“Não é uma questão de cortar nas pensões mais baixas, mas de reformar o sistema de pensões como um todo”

Lagarde lembra que mais de 16% do PIB grego vai para pagar pensões, o que é “mais do que em qualquer outro lado”. 

As declarações do FMI, que garante continuar nas negociações, surgem poucas horas antes da reunião do Eurogrupo, marcada para esta tarde, mas sem um acordo à vista sobre o programa de resgate do país, que poderá estar à beira do incumprimento.  

Também esta manhã a chanceler alemã Angela Merkel lembrou aos gregos que "querer é poder".

Entretanto o presidente do Eurogrupo anunciou uma conferência de imprensa que vai acontecer antes da reunião, às 13:15, hora de Lisboa.