A diretora-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, desvalorizou esta quarta-feira as fortes quedas recentes na Bolsa de Xangai, considerando que a economia chinesa “é resiliente” e “suficientemente forte” para enfrentar essas variações na bolsa.

Numa conferência on-lin através de Washington, Christine Lagarde respondeu às questões colocadas pelos jornalistas sobre as quedas na Bolsa de Xangai e se temia impactos dessas variações na economia chinesa.

“Devemos olhar para o mercado bolsista chinês no médio prazo. A Bolsa de Xangai ganhou já mais de 8% quando comparado com o ano passado. É uma subida extraordinária, apesar das quedas recentes”, afirmou a diretora-geral do FMI.

Christine Lagarde aproveitou para reiterar que a Grécia precisa de uma reestruturação da dívida pública para concluir o terceiro programa de ajustamento económico e financeiro com sucesso:


“Tenho afirmado repetidamente que para a Grécia ser bem-sucedida e para que o seu programa [de ajustamento económico e financeiro] produza resultados é necessária uma reestruturação significativa da sua dívida”.