Os países europeus gastaram 11,3 mil milhões de euros nos últimos 15 anos a deportar imigrantes ilegais, e outros 1,6 mil milhões em controlo das fronteiras, indica um relatório publicado na quarta-feira.

O estudo foi divulgado numa altura em que a União Europeia planeia reforçar a luta contra a imigração ilegal, ao mesmo tempo que tentar encorajar os membros mais reticentes a aceitar dezenas de milhares de refugiados e pessoas em busca de asilo.

O documento, da autoria do consórcio Migrants' Files, composto por jornalistas europeus e outros grupos, indica que os 28 países da União Europeia, bem como a Noruega, Suíça e Islândia, gastaram mais de 11,3 mil milhões de euros a deportar pessoas desde 2000.