Os ministros das Finanças da zona euro reúnem-se esta quarta-feira para tentar um acordo sobre o pós-programa de ajustamento grego, com a Grécia à procura de «uma solução» e Bruxelas com «baixas expectativas» para o encontro.

O Eurogrupo reúne-se extraordinariamente esta quarta-feira e o encontro deverá servir para uma primeira troca de impressões com o novo Governo grego, que pretende encontrar um acordo que substitua o atual programa de resgate, que termina no fim deste mês.

O ministro das Finanças grego, Yanis Varoufakis, deverá insistir num financiamento transitório e reafirmar que a Grécia está preparada para cumprir 70% das reformas do memorando existente.

Yanis Varoufakis afirmou estar consciente do dever do Governo grego em encontrar «uma solução» com os parceiros europeus, mas respeitando a exigência dos eleitores gregos, ou seja, «sem recuar» nos compromissos eleitorais.

O Governo grego rejeita um terço das medidas do programa de ajustamento assinado pelo anterior Governo e pretende substituí-las por um plano de dez reformas a elaborar em conjunto com a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico.

Além disso, e embora possa não estar em cima da mesa na reunião, Atenas espera lançar nos próximos meses as negociações sobre a reestruturação da dívida, com Varoufakis a defender uma troca de títulos.

No entanto, a porta-voz da Comissão Europeia Mina Andreeva disse esta terça-feira, em Bruxelas, que as «expectativas para que haja um acordo final amanhã [quarta-feira] ou na Cimeira europeia [de quinta-feira] são baixas».

Os contactos entre o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, e os responsáveis europeus com quem já se reuniu, incluindo o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, «não têm sido frutuosos», salientou Mina Andreeva.

Por outro lado, a porta-voz do executivo comunitário desvalorizou a especulação em torno de uma possível saída da Grécia do euro, recordando que Juncker rejeitou essa possibilidade na segunda-feira.

«Nós estamos a trabalhar para manter firmemente a Grécia na zona euro – é este o nosso plano», afirmou Mina Andreeva.

O fórum dos ministros das Finanças da zona euro tem uma reunião ordinária na segunda-feira, dia 16, data limite para a Grécia chegar a acordo com os credores, entre os quais Portugal, sobre o pós-troika.

Na segunda-feira estará também em cima da mesa o plano português de reembolso antecipado ao Fundo Monetário Internacional, segundo o qual o Governo português prevê devolver 14 mil milhões de euros ao longo de dois anos e meio.