O comissário europeu da Economia Digital, Günther Oettinger, deixou o aviso esta manhã: a Grécia entrará em estado de emergência se não conseguir um acordo sobre o programa de resgate até ao final do mês.
 
Depois de mais um fim-de-semana de reuniões entre Atenas e os credores internacionais, que terminou uma vez mais sem acordo, a Comissão Europeia convocou um conferência de imprensa para defender a sua posição, depois do primeiro-ministro e o ministro das finanças grego já terem dito que as negociações têm de começar do zero e que a reestruturação da dívida é o único caminho viável.

"Acho que a Comissão Europeia precisa de elaborar um plano que possa evitar um agravamento da situação no caso de a Grécia deixar a zona euro, em caso de incumprimento",sublinhou Oettinger.

 
Segundo a porta-voz da Comissão, Annika Briedthardt, os credores já baixaram significativamente as metas orçamentais para a Grécia nos últimos meses (de um excedente de 3,5% para 1%).
 
A responsável sublinha que agora é a vez da Grécia fazer novas propostas, já que as negociações não são unilaterais.
 
A Comissão aproveita ainda para negar que os credores querem cortar nas pensões individuais.