O presidente do Bundesbank, banco central alemão, defendeu esta quinta-feira que o Banco Central Europeu (BCE) não deve conceder mais liquidez de urgência à Grécia, acrescentando que qualquer ajuda adicional deve ser da responsabilidade dos governos.

"Tem de ficar claro que a responsabilidade por futuros desenvolvimentos na Grécia e que quaisquer decisões de transferência de recursos financeiros é do Governo grego e dos países que derem assistência, não é do conselho de governadores do BCE", afirmou Jens Weidman durante uma conferência em Berlim.

O BCE está atualmente a manter os bancos gregos - e por consequência a economia grega - à tona de água através da provisão de liquidez de emergência (ELA, Emergency Liquidity Assistance).

Os bancos gregos vão permanecer fechados até segunda-feira, dia 13, mantendo-se o limite diário de 60 euros para levantamentos nas caixas multibanco.

Atenas enviou um pedido de terceiro resgate ao Mecanismo Europeu de Estabilidade, com a duração de três anos. As propostas vão ser apresentadas esta quinta-feira.