Apesar de assegurar que a Grécia e os credores internacionais estão mais perto de um “entendimento comum”, o comissário europeus dos Assuntos Económicos, Pierre Moscovici, deixa o aviso: o tempo está a esgotar-se.

Para o responsável, o tempo para alcançar um acordo é limitado, acrescentando que a comissão europeia só trabalha num cenário: a permanência de Atenas na zona euro.

A Grécia adiantou esta segunda-feira que acredita num acordo este mês, nomeadamente na cimeira de Riga, marcada para quinta e sexta-feira.

Em conferência de imprensa, Margaritis Schinas, porta-voz de Bruxelas, sublinhou que seja o que for que aconteça em Riga não pode substituir as lacunas nas negociações entre Atenas e os credores.

Segundo o governo grego, ainda existem quatro linhas vermelhas: os cortes nas pensões, o plano de crescimento, a meta do excedente orçamental primário e a reestruturação da dívida.