Os bancos gregos vão continuar encerrados pelo menos até quarta-feira, confirmou a Reuters junto do Ministério das Finançasda Grécia.

Já este sábado o ministro grego da Economia, Giorgos Stathakis, entrevista à Mega TV, tinha admitido que mesmo que os bancos abram esta semana a restrição aos levantamentos bancários vai permanecer durante algum tempo.

O acordo fechado na cimeira da zona euro para se avançar com um terceiro programa de resgate à Grécia, no valor de 86 mil milhões de euros, impõe condições a Atenas com calendários a curto prazo. 

Até quarta-feira, o Parlamento grego tem que aprovar medidas como o aumento do IVA e o alargamento da base tributária para aumentar as receitas fiscais, a reforma do sistema de pensões - incluindo a garantia da sua sustentabilidade a longo prazo -, o assegurar da independência do instituto de estatísticas grego (ELSTAT) e a aplicação integral das principais normas previstas do Tratado de Estabilidade, Coordenação e Governação na União Económica e Monetária. 

Os ministros das Finanças da zona euro voltam esta segunda-feira a reunir-se, em Bruxelas, às 16:00 (15:00 de Lisboa) para debater o financiamento-ponte à Grécia e a eleição do novo presidente para o Eurogrupo. 

O financiamento-ponte a debater pelo Eurogrupo é um empréstimo intermédio que servirá para evitar que a Grécia falhe os próximos pagamentos, caso dos 3.500 milhões de euros que tem de pagar ao Banco Central Europeu a 20 de julho, evitando um novo incumprimento enquanto não é aprovado o terceiro resgate ao país, que implica ainda muitos procedimentos.