Os juros da dívida pública da Grécia estão a disparar, apesar do governo helénico ter negado estar a preparar um default da dívida, caso as negociações com os credores falhem.

Citando fontes próximas do processo, o Financial Times noticiou que Atenas poderá reter pagamentos de cerca de 2,5 mil milhões de euros devidos ao FMI em maio e junho, caso não chegue a acordo com os parceiros internacionais sobre o pacote reformas para libertar novos fundos.

«A Grécia não está a preparar qualquer default de dívida e o mesmo se aplica aos credores. As negociações estão a proceder suavemente para uma solução mutuamente benéfica», disse o gabinete do primeiro-ministro, Alexis Tsipras, em comunicado.

Na quinta-feira passada os vice-ministros das finanças dos países da zona euro deram seis dias úteis à Grécia para melhorar as reformas propostas, para serem discutidas no Eurogrupo de 24 de abril.

«24 de abril, acabará, mais uma vez, por não ser o fim do mundo», frisou o comunicado de Tsipras.

A taxa de juros das OT helénicas a 10 anos sobem 31 pontos base (pb) para 11,811%, enquanto a de 2 anos dispara 97 pb para 22,231%.