A integração dos precários no Estado é hoje o tema em cima da mesa da reunião que decorrerá entre os sindicatos, a secretária de Estado da Administração Pública e o secretário de Estado do Emprego, no ministério das Finanças.

Os encontros da FESAP - Federação dos Sindicatos da Administração Pública, do Sindicato dos Quadros Técnicos Do Estado (STE) e da Frente Comum com Carolina Ferra e Miguel Cabrita decorrerão durante a tarde, a partir das 14:00, e surgem depois do arranque, em 11 de maio, da entrega de requerimentos dos trabalhadores precários que pretendem ver a sua situação analisada. O prazo limite para a entrega é 30 de junho. 

O ministro das Finanças já veio dizer que integrar os trabalhadores precários da administração pública nos quadros não trará grandes custos diretos para o Estado, porque os funcionários em causa já estão a trabalhar.

A expectativa desta reunião é que se comecem a falar de soluções e do decreto-lei que há de ser aprovado, de forma a assegurar “que está tudo pronto” até 31 de outubro, segundo José Abraão, da FESAP, em declarações recentes à Lusa.

A CGTP defendeu, numa manifestação em Lisboa, no início do mês, que haja uma espécie de Simplex para os precários e que são precisas respostas "urgentes".

O programa de regularização extraordinária dos vínculos precários é o ponto único da agenda das reuniões de hoje.

Prevê-se que o processo de integração comece no final de outubro e decorrea até ao final de 2018.