Em 2014 houve 4.594 empresas que deram início ao processo de insolvência. Nos anos anteriores, entre 2011 e 2013, restas mesmas empresas tinham despedido 25.045 pessoas e reduzido em 365 milhões de euros os gastos com salários, escreve o jornal Público.

O número consta de um estudo do Instituto Informador Comercial, uma consultora de gestão de crédito, e revela uma queda de 73% do valor total das remunerações no período em análise.

As quebras também se estenderam às encomendas: aquelas 4.594 empresas tinham reduzido em 1.409 milhões de euros as compras aos respetivos fornecedores, anos antes de decidiram avançar para a insolvência. É um valor que significa menos 75% de compras, quando se compara 2011 com 2013.

O volume de negócios encolheu dois mil milhões de euros entre 2011 e 2013, uma quebra de 82%.