O terceiro trimestre de 2013 registou um aumento de 12,2% na criação de empresas e uma descida no encerramento (-18%) e nos processos de insolvência (-6,4%) em relação ao trimestre homólogo de 2012, de acordo com os últimos dados do Barómetro Empresarial da Informa D&B, que analisa o tecido empresarial português entre janeiro e detembro.

O acumulado Janeiro a Setembro regista mais 16,4% face ao período homólogo. Serviços (32%), Retalho (16%) e Alojamento (11%) são os sectores que registam maior número de novas empresas. Em comparação com 2012, o maior crescimento de constituições de empresas ocorre nos setores das Indústrias Extrativas (+60%), indústrias transformadoras (+22%) e no setor das atividades financeiras (+24%). Os setores da agricultura, pesca, pecuária, caça e Telecomunicações são os que apresentam o maior número de constituições por cada dissolução nos últimos 12 meses, com registos de 6,9 e 5,0 respetivamente.

Já as dissoluções de empresas continuam a descer, como aconteceu desde o primeiro trimestre, com o terceiro trimestre a registar menos 17% face ao período homólogo. A tendência de descida das dissoluções de empresas é generalizada, sendo o sector das indústrias extrativas o único onde se regista uma tendência inversa.

Os setores das Atividades imobiliárias, Telecomunicações, Atividades financeiras, Indústrias transformadoras e Construção registaram uma descida nas dissoluções superior a 20%. As dissoluções concentram-se principalmente nos setores de maior dimensão em termos de número de empresas: Serviços (24%), Retalho (20%) e Construção (13%)

As insolvências desceram 5,6% relativamente ao período homólogo, sendo o 3º trimestre consecutivo a registar uma descida. Ao nível dos setores, a tendência das insolvências não é homogénea. A construção e as indústrias transformadoras apresentam uma descida considerável de insolvências, ao contrário do verificado nos serviços, retalho e alojamento e restauração, que registaram uma subida de insolvências.