O empresário, que deu 14 milhões de euros a Ricardo Salgado, pode vir a ser acusado de crime de desobediência. José Guilherme terá enganado a Comissão Parlamentar de Inquérito ao caso BES.
 
O construtor civil recusou ser ouvido pelos deputados. José Guilherme justificou a ausência na Comissão por motivos de doença, por ter residência oficial em Angola e por estar nessa altura a tratar de negócios fora do país.
 
Mas o semanário «Expresso» noticia este sábado que, entre 4 e 7 de março, o empresário da construção civil esteve em Portugal.
 
O presidente da Comissão de Inquérito já fez saber que os procuradores do Ministério Público vão avaliar se há «crime de desobediência».
 
Fernando Negrão já veio dizer que vai extrair certidões das notificações enviadas pela Comissão e da correspondência trocada com os advogados de José Guilherme para remeter ao Ministério Público.