A Infraestruturas de Portugal (IP) esclareceu esta quarta-feira que os encargos com o Túnel do Marão, inaugurado a 7 de maio, foram de 56,2 milhões de euros em 2015 já que o empreendimento contou com financiamento comunitário.

Segundo especificou a empresa, em comunicado, o total do investimento pago em 2015 para a execução do empreendimento do Túnel do Marão foi de 131,9 milhões de euros, abatendo deste montante o cofinanciamento de 75,7 milhões de euros recebido no ano passado, atribuído a este projeto no âmbito dos Fundos de Coesão da União Europeia.

Este esclarecimento da IP surge após a divulgação do relatório anual sobre as parcerias público-privadas (PPP) da Unidade Técnica de Acompanhamento de Projetos (UTAP), que refere que os encargos com o túnel "passaram de dois milhões de euros em 2014 para 132 milhões de euros em 2015).

Segundo o Boletim Anual das PPP – 2015, os encargos líquidos do setor público com as parcerias público-privadas totalizaram 1.598 milhões de euros em 2015, mais 3% face a 2014 e cerca de 215 milhões acima do previsto no Orçamento do Estado do ano passado.

O Túnel do Marão está incluído na Autoestrada do Marão, a maior obra pública feita nos últimos tempos em Portugal, representa um investimento global de 398 milhões de euros, dos quais 90 milhões são financiamento comunitário.

Esta autoestrada, entre Vila Real e Amarante, foi lançada em 2008, pelo Governo socialista de José Sócrates, como uma parceria público privada. O contrato de concessão foi assinado com a Concessionária Autoestrada do Marão, composta pelas empresas Somague e MSF.

A obra arrancou em 2009, mas depois de três paragens foi resgatado pelo Governo de Pedro Passos Coelho e entregue à IP.