Peter Praet, membro do conselho executivo do Banco Central Europeu (BCE), afirmou hoje que a instituição pode aumentar ou prolongar o seu programa de compra de ativos se for necessário para cumprir a meta de inflação.
 

"Os desenvolvimentos mais recentes na economia mundial e nos mercados de matérias-primas aumentaram o risco de se atingir uma trajetória para uma inflação próxima de 2%"


Afirmação foi feita por Peter Praet aos jornalistas em Mannheim, Alemanha, onde participou no 30.º Congresso Anual da Associação Económica Europeia.

"Não deve haver qualquer ambiguidade quanto à vontade e capacidade do conselho de governadores para agir se for necessário", acrescentou, citado pela Bloomberg.

Recentemente, o Banco Central Europeu deixa um alerta: a situação financeira na China pode ter um impacto mais adverso que o esperado na economia da zona euro. 
 

"Os desenvolvimentos financeiros na China podem ter consequências negativas maiores que o previsto, dado o papel preponderante do país no comércio mundial"