Dois gestores públicos, do Infarmed, gastaram mais de 14 mil euros numa viagem de trabalho a Angola, para assinatura de um protocolo.

De acordo com o «Correio da Manhã», o presidente da Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (Infarmed), Eurico Castro Alves, e o seu vice, Hélder Mota Filipe, gastaram 14.425 euros numa viagem a Luanda, nos finais de maio.

Os gestores justificam os gastos com o facto de a viagem ter sido decidida em cima da hora e de ser a organização do evento a decidir o hotel.