Metade dos medicamentos vendidos nas farmácias portuguesas já são genéricos. Segundo o Diário de Notícias, os remédios sem marca garantem uma quota nacional de 47%, mas existem dez fármacos onde a percentagem é superior a 60% e mais de 700 onde a quota está acima dos 50%.

O objetivo do Governo é chegar ao fim da legislatura com uma quota de 60% no mercado total de genéricos

Os dados do Infarmed revelam que no ano passado, foram vendidos 64 milhões de embalagens de genéricos, no valor de 461 milhões de euros. São mais um milhão e 600 mil embalagens vendidas do que em 2014.

Por região, os genéricos são mais vendidos no sul do país, em particular no Alentejo. Os fármacos para tratar o colesterol elevado, doenças do estômago e diabetes lideram a lista.