A taxa de poupança das famílias aumentou para os 12,6% em 2013, de acordo com os números do Instituto Nacional de Estatística (INE), hoje divulgados.

Segundo as Contas Nacionais Trimestrais por Setor Institucional, hoje divulgadas pelo INE, a taxa de poupança das famílias aumentou 0,6 pontos percentuais, passando dos 12% em 2012 para os 12,6% do rendimento disponível em 2013.

Também a capacidade de financiamento das famílias aumentou para os 6,8% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2013 (em 2012, foi de 6,4%), sendo que a redução da despesa do consumo final (-1,4%) foi «mais expressiva» do que a diminuição do rendimento disponível (-0,7%).

A queda do rendimento disponível das famílias (-0,7%) foi determinada pelo «expressivo aumento dos impostos sobre o rendimento e sobre o património» (+33%), que «mais do que compensou os aumentos das remunerações recebidas», que subiram 0,7% face ao ano anterior, o equivalente a 65,4% do rendimento disponível em 2013.