A produção na construção subiu 2% em fevereiro, face homólogo, graças sobretudo à construção de edifícios, enquanto o índice de emprego aumentou 2,4% e o de remunerações diminuiu 0,5%, informou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).

A taxa de variação homóloga de 2% no índice de produção da construção representou uma subida de 1,2 pontos percentuais (p.p.) em relação ao observado em janeiro, lê-se no documento do INE, que notou que o segmento da construção de edifícios foi “determinante para a evolução positiva da atividade”, ao subir 4,3% e contribuir com 2,6 p.p. para a variação do índice agregado.

A engenharia civil manteve variação negativa (-1,5%), mas recuperou 1,0 p.p. face ao registado em janeiro, contribuindo com -0,6 p.p para o índice total.

A construção é um dos primeiros setores a reagir em momento de recuperação económica. No mês passado, o Instituto Superior de Economia e Gestão (ISEG) referia que a economia portuguesa deve crescer entre 1,7 e 2,1% em 2017. E um dos grandes estímulos, segundo o ISEG, será a Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF), vulgarmente designada de investimento, sustentado nos indicadores da construção.