Antes de a troika chegar a Portugal, 4.775 mil portugueses estavam empregados, mas três anos depois, há menos 348 mil com trabalho. É uma queda de 7% entre o primeiro trimestre de 2011 e os primeiros 3 meses este ano, escreve o Jornal de Negócios.

A recessão e as medidas de austeridade provocaram quedas drásticas no emprego, com destaque para o período entre o final de 2012 e início de 2013, quando foram destruídos 210 mil empregos em apenas 6 meses.

Os dados são do Inquérito ao emprego, publicados sexta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística.

Os dois setores que se destacam na destruição de emprego: agricultura, restauração e hotelaria. No setor agrícola forma destruídos 30,3 mil empregos. No alojamento e restauração a queda foi de 37,2 mil.