O primeiro-ministro defende que as importações estão a alimentar o investimento e a indústria exportadora, em vez de se destinarem apenas ao consumo privado.

“As nossas importações que estão destinadas a futuras exportações depois de transformação pela nossa indústria estão a aumentar e isso é bom”, disse Passos Coelho, explicando que seria mau se as importações se destinassem apenas ao nosso consumo.


É o argumento de Passo Coelho face aos números revelados esta terça-feira pelo Instituto Nacional de Estatística, que dão conta de uma subida de 16% nas importações de bens em abril, face ao mês homólogo.

É uma subida bastante mais acentuada do que a das exportações, que registaram um aumento de 9,7%. 

O governante prefere destacar o lado positivo das compras que o país faz ao estrangeiro.

Paulo Portas destacou, em Santarém, o crescimento das exportações portuguesas, que diz ser “francamente bom”.

“Teremos meses melhores, meses piores, mas a tendência de crescimento das exportações portuguesas é muito forte em 2015”, declarou.


Para Paulo Portas, o crescimento “cá dentro” com investimento e “para fora” com as exportações permite “proteger a retaguarda e criar emprego”.