O investimento empresarial deverá crescer 1,1% em 2014, mas caiu 8,3% no ano passado, representando uma revisão em baixa do Instituto Nacional de Estatística (INE), segundo dados divulgados esta sexta-feira.

De acordo com o Inquérito de Conjuntura ao Investimento de outubro de 2013, hoje divulgado, o INE explica que a extensão da capacidade de produção foi um dos objetivos de investimento que passou a ter menos importância para as empresas, de 2013 para 2014, «embora permanecendo como o objetivo mais referido».

Além disso, o instituto prevê um aumento do peso relativo dos investimentos associados à substituição, racionalização e restruturação e outros fins.

O INE justifica que o principal fator limitativo do investimento empresarial entre 2013 e 2014 foi a deterioração das perspetivas de venda, seguindo-se a incerteza sobre a rentabilidade dos investimentos.

Segundo o Inquérito de Conjuntura, as estimativas da redução do investimento em 2013 foram revistas em baixa, tendo passado de uma quebra de 2,1% para uma redução 8,3%.

«Comparando esta primeira estimativa para a variação do investimento em 2014, com a primeira estimativa para 2013 (-4,2%), obtida no inquérito de outubro de 2012, observa-se uma recuperação de 5,3 pontos percentuais», lê-se no documento.

O período de inquirição decorreu entre 01 de outubro de 2013 e 23 de janeiro de 2014.