O índice de produção industrial voltou ao crescimento, ao subir 4,1% em abril, em termos homólogos, depois de ter caído no mês anterior, divulgou hoje o Instituto Nacional de Estatísticas (INE).

Em abril, o índice de produção industrial situou-se em 96,5, correspondente a uma subida de 4,1%, mais 4,6 pontos percentuais do que a taxa observada em março.

Os contributos mais relevantes para a variação positiva couberam aos agrupamentos de bens de consumo e de bens intermédios, com 2,7 pontos percentuais e 2,4 pontos percentuais, respetivamente, depois de subirem 8,6% (descida de 4,4% no mês anterior) e 6,5% (quebra de 0,5% em março), pela mesma ordem.

Os bens de investimento também aumentaram 11,5% (6,7% em março), contribuindo com 1,6 pontos percentuais para a variação do índice agregado, enquanto o agrupamento de energia apresentou o único contributo negativo (queda de 2,6 pontos percentuais), resultante de uma variação homóloga negativa de 15,6% (1,1% no mês anterior).

Por sua vez, o índice da secção das indústrias transformadoras registou uma variação homóloga de 6,2% em abril (queda de 2,8%, em março) e o índice da secção das indústrias extrativas passou de uma variação homóloga negativa de 0,4%, em março, para 1,6% em abril.

A secção de eletricidade, gás, vapor, água quente e fria e ar frio recuou 5,1%, depois de ter registado uma queda de 1,2% em março.

Analisando a variação mensal, o índice de produção industrial aumentou 5,4% em abril, depois de ter caído 3,2% em março.

Os agrupamentos de bens de consumo e de bens intermédios determinaram o índice geral e apresentaram contributos de 3,2 pontos percentuais e 2,7 pontos percentuais, respetivamente, depois de terem crescido 10,1% e 7,1%, pela mesma ordem.

A energia apresentou o único contributo negativo, de 1,4 pontos percentuais, resultante do agravamento da variação mensal de -4,7% em março, para -9,1% em abril, enquanto a secção das indústrias transformadoras aumentou 9,1% e as indústrias extrativas desceram 4,3% em abril.

A taxa de variação da secção de eletricidade, gás, vapor, água quente e fria e ar frio situou-se em -5,8%.