O valor médio da avaliação bancária em Portugal teve um aumento homólogo de 2,7% em outubro para 1.041 euros por metro quadrado, acelerando face a subida de 1% no mês anterior.

Dados do Instituto Nacional de Estatística revelam que face ao mês anterior, o valor médio de avaliação bancária aumentou dois euros por metro quadrado (m2), ou 0,2 pct, tendo "a região do Algarve, com um aumento de 26 euros/m2 para um valor de avaliação de 1.296 euros/m2, apresentado a valorização mais intensa face ao mês precedente".

A Área Metropolitana de Lisboa, com uma variação de 4,4%, foi a que mais influência teve no resultado agregado.

O INE realçou que o valor médio de avaliação bancária para os apartamentos caiu, em Outubro, 0,1% para 1.089 euros/m2, face ao mês anterior, explicado pela descida do valor na região Centro.

Comparativamente com Outubro de 2014, o valor médio de avaliação bancária dos apartamentos aumentou 3%, destacando-se uma vez mais a subida mais forte, de 4,3%, na Área Metropolitana de Lisboa.

As tipologias de apartamentos T2 e T3 tiveram comportamentos diferentes, tendo os primeiros tido uma subida de quatro euros/m2 para 1.068 euros, ao passo que os segundos viram os valores médios de avaliação bancária caírem 6 euros para 1.029 euros/m2.

No caso das moradias, a avaliação média para o total do país aumentou 0,6% para 964 euros/m2 em outubro, face ao mês anterior. Quando comparado com o mês homólogo, a subida foi de 2,1%.

Estes dados do INE têm por base o inquérito à avaliação bancária na habitação, que recolhe informação caracterizadora dos alojamentos que são objecto de financiamento bancário.

Governo prevê que a economia cresça 1,6% do PIB em 2015, consolidando a retoma económica após, em 2014, ter deixado para trás a pior recessão em três décadas ao expandir 0,9%.