A hotelaria registou 1,7 milhões de dormidas em janeiro, um crescimento homólogo de 10,1%, impulsionado tanto pelos estrangeiros como pelos residentes, segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE).

No primeiro mês do ano, os estabelecimentos hoteleiros registaram 702,5 mil hóspedes e 1,7 milhões de dormidas, resultados que se traduziram em crescimentos de 10,9% e 10,1% respetivamente, «mais marcantes» do que em dezembro (+9,4% e +8,6%, respetivamente).

Para o resultado em janeiro contribuíram, segundo o INE, «tanto residentes, cujas dormidas aumentaram 9,6% (+6,1% em dezembro), como não residentes, que mantiveram o crescimento de 10,3% observado em dezembro».

Assim, as dormidas de não residentes fixaram-se em 1,2 milhões, enquanto as de residentes fixaram-se em 567,9 mil.

Entre os principais mercados emissores, destacaram-se as dormidas dos hóspedes provenientes da Irlanda, França e Brasil.

O INE refere que o comportamento dos 10 principais mercados emissores foi maioritariamente positivo em janeiro, tendo estes países correspondido a 74,6% das dormidas de não residentes (76,4% em janeiro de 2013).

O mercado britânico, com uma quota de 22,8%, subiu 7,4%, após dois meses consecutivos de resultados negativos. Já a Irlanda destacou-se com «um assinalável crescimento de 28,1%» em janeiro. França, Brasil e Espanha mantiveram acréscimos expressivos (+22,1%, +19,8% e +16,9%, respetivamente).

Ainda em termos de dormidas, o INE salienta os aumentos nas pousadas (+25,2%) e ainda nos hotéis (+12,4%), com «resultados em linha com os do mês anterior».

O crescimento de 6,5% das dormidas em aldeamentos turísticos veio inverter a tendência decrescente verificada nos dois meses anteriores (-6,4% em dezembro e -4,8% em novembro), acrescenta o INE.

Em janeiro, as taxas de ocupação aumentaram, com a taxa líquida de ocupação-cama na hotelaria a situar-se em 22,0%, mais 1,7 pontos percentuais (p.p.) do que no período homólogo.

Os hotéis-apartamentos e os hotéis apresentaram as taxas de ocupação mais elevadas (26,3% e 23,6%, respetivamente). Face a janeiro de 2013, salientaram-se os hotéis-apartamentos com um acréscimo de 3,3 p.p. (+4,7 p.p. nos de 4 estrelas) e ainda as pousadas (+4,1 p.p.).

A estada média foi 2,45 noites, ligeiramente inferior (-0,7%) à de janeiro de 2013 (2,47 noites).

Madeira e Algarve registaram as estadias médias mais elevadas (5,68 e 4,24 noites), no entanto inferiores às do período homólogo em 3,3% na Madeira e 4,0% no Algarve. Pelo contrário, nos Açores a estada média aumentou em janeiro (+5,0%), tal como no Norte (+3,3%).