O indicador de confiança dos Consumidores recuperou em fevereiro, registando o valor mais elevado desde maio de 2002.
 
Segundo dados do Instituto Nacional de Estatística, a recuperação do indicador de refletiu o contributo positivo das expectativas relativas à evolução da situação financeira do agregado familiar, da poupança e da situação económica do país, uma vez que as perspetivas sobre a evolução do desemprego contribuíram negativamente.
 
Já o indicador de clima económico estabilizou em fevereiro, segundo o INE, após ter aumentado ligeiramente em janeiro. No mês de referência, o indicador de confiança aumentou na Indústria Transformadora, na Construção e Obras Públicas e no Comércio e diminuiu nos Serviços.