O indicador de confiança dos Consumidores aumentou expressivamente entre agosto e outubro, apresentando o valor mais elevado dos últimos três anos. Segundo dados do Instituto Nacional de Estatística, a contribuir para este clima de confiança estiveram as expectativas positivas sobre a evolução do desemprego, da situação económica do país e da situação financeira do agregado familiar, mais significativo nos dois primeiros casos.

O saldo das expectativas relativas à evolução do desemprego voltou a apresentar uma diminuição acentuada em outubro, mantendo o acentuado perfil descendente observado desde o início do ano e registando o valor mais baixo dos últimos cinco anos.