Os consumidores portugueses não estavam tão confiantes desde agosto de 2001. Segundo dados do Instituto Nacional de Estatística, o indicador de confiança dos consumidores aumentou em agosto, prolongando o perfil ascendente observado desde o início de 2013.

A subida, segundo o INE, refletiu o contributo positivo das expectativas relativas à evolução do desemprego e das perspetivas sobre evolução da situação económica do país e da situação financeira do agregado familiar.

Já o indicador de clima económico estabilizou em agosto, suspendendo o perfil crescente iniciado em janeiro de 2013. Em agosto, o indicador de confiança aumentou ligeiramente na indústria transformadora, na construção e obras públicas e nos serviços e diminuiu no comércio.