O volume de negócios do comércio a retalho aumentou 1,8% em fevereiro, desacelerando face à subida de 2,2% registada em janeiro face ao mês anterior, revela o índice do Instituto

Nacional de Estatística (INE), hoje divulgado.

Apesar da subida do índice do volume de negócios, que traduziu um abrandamento de 0,4 pontos percentuais face a janeiro, os restantes índices deste setor revelaram em fevereiro quedas face a janeiro, mas menos acentuadas que as de janeiro em relação a dezembro.

Em fevereiro, os índices de emprego, do número de horas trabalhadas e das remunerações, apresentaram quedas face ao mês anterior de respetivamente 1,0%, 0,9% e zero, menos que as quedas (pela mesma ordem) de 1,5%, 2,9% e a subida de 0,3% registadas nesses índices no mês anterior.

Para o aumento do volume de negócios contribuiu o desempenho dos agrupamentos produtos alimentares e produtos não alimentares, que apresentaram andamentos contrários, ao passarem de taxas de variação homólogas de 3,6% e 1,2%, respetivamente, em janeiro, para variações de 2,0% e 1,6%, em fevereiro.

O índice de emprego no comércio a retalho apresentou, em fevereiro, uma diminuição homóloga de 1% (contra variação de menos 1,5% em janeiro). Comparando com o mês anterior, a taxa de variação deste índice foi negativa em 0,3% em fevereiro, o que compara com a variação de menos 0,7% no mesmo mês de 2013.