O indicador de clima económico continuou a recuperar em junho, enquanto o indicador de consumo privado apresentou uma queda homóloga «menos intensa em maio», refletindo uma evolução negativa menos acentuada do consumo corrente, segundo o Instituto Nacional de Estatística.

De acordo a síntese económica de conjuntura do INE, o indicador de clima económico fixou-se nos -2,9 pontos em junho e -3,2 pontos em maio, após ter registado em dezembro o mínimo (-4,4 pontos) da série, iniciada em maio de 1989, .

O indicador quantitativo do consumo privado apresentou, por sua vez, uma diminuição homóloga menos intensa em maio, «em resultado da evolução negativa menos acentuada do consumo corrente», chegando aos -0,9 pontos.

O indicador de atividade económica, disponível até maio, registou, por seu turno, «uma redução menos expressiva que no mês anterior», alcançando os -1,5 pontos, acrescenta o INE.

Ao nível do investimento, o indicador de FBCF (Formação Bruta de Capital Fixo) diminuiu «de forma menos expressiva» em maio, refletindo «o menor contributo negativo das componentes de construção e, em menor grau, de máquinas e equipamentos».

As exportações nominais aumentaram em maio 5,7%, enquanto as importações diminuíram 1,6%, de forma menos expressiva do que no mês anterior.