A economia portuguesa poderá apresentar um crescimento em cadeia entre 0,2% e 0,4% no terceiro trimestre do ano face ao segundo, de acordo com estimativas apresentadas por analistas que poderão ser confirmadas esta sexta-feira pelo INE.

O Instituto Nacional de Estatística divulga as contas nacionais referentes ao terceiro trimestre, depois de há cerca de duas semanas ter divulgado uma primeira estimativa dando conta de que a economia portuguesa tenha crescido 0,2% no terceiro trimestre face ao segundo e 1% face a igual período do ano passado.

No entanto, e depois da primeira estimativa apresentada pelo INE, o banco Montepio apresentou uma previsão ligeiramente superior para o crescimento da economia portuguesa no terceiro trimestre, esperando uma melhoria de 0,3% ou 0,4% em cadeia.

Também o banco espanhol BBVA manteve a sua previsão de 0,3% para o crescimento económico em cadeia no terceiro trimestre depois de conhecida a estimativa do INE, apesar de ter revisto em baixa a estimativa de melhoria do Produto Interno Bruto (PIB) no conjunto de 2014, antecipando agora um aumento de 0,9%.

Já o presidente do Informação de Mercados Financeiros, Filipe Garcia, disse, num comentário após a divulgação da estimativa do INE, que «a subida de 0,2% não surpreende, encontrando-se no intervalo das previsões (0,2 – 0,3%), mantendo-se o ritmo de crescimento homólogo de 1%, que deverá ser também o crescimento de 2014 como um todo».

Na mesma linha, o Núcleo de Estudos de Conjuntura da Economia Portuguesa (NECEP) da Universidade Católica considerou que o PIB continuou a evoluir acima da sua dinâmica recente, «ainda muito frágil», com um crescimento de 0,2% em cadeia (1% em termos homólogos) e «sem surpresas».

Contactada pela agência Lusa, a analista financeira do banco BPI Teresa Gil Pinheiro disse antecipar um crescimento económico no terceiro trimestre de 1%, face ao período homóloga, semelhante à divulgada pelo INE.