O índice de volume de negócios nos serviços subiu 5,9% no ano passado e a produção na construção também aumentou, neste caso 2,2%. Os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) esta segunda-feira apontam para um crescimento do emprego e das remunerações nos dois setores.

No caso dos serviços, o aumento da faturação foi de mais 4,5 pontos percentuais do que em 2016. As áreas que mais influenciaram esta variação foram a do comércio por grosso e a da reparação de veículos (automóveis e motociclos) e transportes e armazenamento.

Também tendo em conta todo o desempenho do ano passado nos serviços, o emprego teve uma taxa de variação média de 3,8%, semelhante à das remunerações, que se situou em 4%. As horas trabalhadas também aumentaram 3,4%.

Em termos homólogos, a faturação no setor dos serviços registou, no último trimestre do ano passado, um acréscimo de 5,5% face ao mesmo período de 2016.

Construção

Quanto ao índice de produção na construção, este aumentou 2,2% em 2017, quando tinha registado uma queda de 3,9% no ano anterior.

O segmento da Engenharia Civil contribuiu com 0,7 pontos percentuais para a variação agregada, ao crescer 5,3% em termos homólogos (4,6% no mês anterior).

O índice da Construção de Edifícios apresentou um abrandamento de 0,1 pontos percentuais, tendo passado de 1,1% em novembro a nível homólogo para 1,0% no mês de dezembro passado.

Já o índice de emprego no setor da construção registou uma variação homóloga de 2,4% (2,3% em novembro) e quando comparado com o mês anterior, o índice de emprego apresentou uma taxa de variação de -0,4% (-0,5% em dezembro de 2016).

O índice das remunerações efetivamente pagas, por sua vez, registou uma taxa de variação homóloga de 2,0% (4,2% em novembro). Comparativamente com o mês anterior, o índice das remunerações aumentou 1,5% em dezembro (3,6% no mesmo mês de 2016).

Sobre a variação média anual dos índices de emprego e remuneração na construção, o INE refere que foi de 2,1% e 1,9% em 2017.