O indicador coincidente de atividade económica subiu 1,6% em dezembro de 2013, o valor mais alto desde agosto de 2010, segundo os indicadores de conjuntura publicados esta sexta-feira pelo Banco de Portugal.

Relativamente ao indicador do consumo privado, a subida foi de 0,7%, o valor mais alto de outubro de 2010 e uma subida pelo segundo mês consecutivo, depois de pelo menos 10 meses de quebras.

Olhando para o acumulado do ano, em 2013, a quebra no indicador coincidente da atividade economia caiu 2,0%, um resultado bem melhor do que a derrapagem de 5,2% registados em 2012.

No caso do indicador do consumo privado, a queda do ano de 2013 foi de 0,9%, comparativamente à queda de 3,3% do acumulado de 2012.