Entre 1 de janeiro e 31 de agosto, 120 alunos do Ensino Superior deixaram de pagar o empréstimo que contraíram para fins académicos, revela o Jornal de Notícias.

No total, desde 2007, ano em que foi criada a linha de crédito, já entraram em incumprimento 948 estudantes e o Estado teve de pagar à sociedade gestora do sistema nacional de garantia mútua mais de 8 milhões de euros, por esses créditos.

O presidente da SPGM, José Fernando Figueiredo, defende que se alargue o período de carência, proposta que colhe simpatia da parte das associações académicas.

A principal razão para o incumprimento é a incapacidade de arranjar emprego depois da conclusão do curso, altura em que o empréstimo deveria começar a ser pago.