A concessão de crédito às empresas e famílias da zona do euro teve um crescimento constante em julho último, sugerindo uma modesta recuperação económica após o Brexit.

Os empréstimos às empresas da área do euro tiveram um aumento homólogo de 1,9% em julho, acima do crescimento de 1,7% no mês anterior e o ritmo mais forte em cinco anos, segundo dados do Banco Central Europeu.

O crédito concedido às famílias cresceu 1,8%, superando o valor de junho, que foi revisto em alta para 1,7%.

Em Portugal, o montante dos novos contratos de crédito ao consumo teve um crescimento homólogo de 17,2% para 485,9 milhões de euros em junho de 2016, suportado no forte aumento do crédito pessoal, segundo dados do Banco de Portugal (BP). Mas o montante acabou por cair na comparação face ao mês anterior em 2,2%.

Já no que toca ao incumprimento, as empresas e as famílias estão a incumprir menos no crédito que pedem à banca.

Os dados do Boletim Estatístico do BP de agosto mostram que o rácio entre o crédito vencido e os empréstimos concedidos baixou em quase todas as categorias mas não de forma significativa.

No caso das sociedades não financeiras - as empresas em geral - o rácio cai de 16,7% em maio para 16,5% em junho. Já nos particulares mantém-se nos 5,2%.

Ou seja, o crédito malparado dá sinais de abrandamento mas, mesmo assim, os dados apontam para um incumprimento de famílias e empresas de mais de 20 mil milhões de euros.