Sete empresas dos três concelhos mais afetados pelo incêndio de Pedrógão Grande já têm apoio definido, num total de 280 mil euros, que vão ser disponibilizados, informou o secretário de Estado do Desenvolvimento e Coesão.

O apoio às sete empresas totaliza 280 mil euros, de um total de 330 mil euros de investimento que será feito na recuperação da capacidade destas firmas, informou Nelson de Souza, que esteve presente hoje na Câmara Municipal de Figueiró dos Vinhos, onde foram entregues os comprovativos do pagamento do adiantamento dos apoios a quatro empresas deste concelho que tiveram prejuízos com o incêndio de junho.

As quatro empresas que hoje receberam o comprovativo de pagamento trabalham na área dos pneus, turismo e construção civil, sendo que vão receber 160 mil euros para um total de investimento de 188 mil euros.

As sete empresas até agora apoiadas são todas dos três concelhos mais afetados: Figueiró dos Vinhos, Pedrógão Grande e Castanheira de Pera.

Veja também:

Durante a sessão na sede do município de Figueiró, o membro do executivo sublinhou que foram contratados peritos em avaliação de incêndios, bem como consultores, para ajudar "as empresas, sobretudo as de menor dimensão, que muitas vezes têm dificuldade em perceber a linguagem".

Quando as candidaturas são entregues, já são conhecidas pelos técnicos da CCDR [Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional]. O tempo de decisão entre entrada da candidatura e o primeiro adiantamento não tem passado de uma semana".

Já para as empresas de maior dimensão, é necessário uma "maior atenção", quer por parte dos empresários, quer por parte do Governo e da CCDR.

"Trabalhamos em conjunto e em parceria para lhes prestar assistência técnica", nomeadamente peritos para avaliar "com rigor os prejuízos", esclareceu. "Brevemente, haveremos de ter tempo para melhor decidir sobre esta matéria".

Licenciamento dispensado

O Governo vai dispensar de licenciamento as obras de reconstrução de habitações afetadas pelos incêndios, disse hoje em Pedrógão Grande o primeiro-ministro, António Costa.

No próximo Conselho de Ministros, vamos aprovar um decreto que visa dispensar de licenciamento as obras todas de reconstrução de casas já pré-existentes".

António Costa adiantou que a dispensa de licenciamento a construções já existentes antes dos incêndios exclui aquelas que estejam localizadas "em algum local onde não fosse permitida a construção".

António Costa e Marcelo Rebelo de Sousa visitaram duas obras de reconstrução em localidades de Pedrógão Grande, antes de reunirem com autarcas das regiões afetadas pelos incêndios, encontro agendado para o final da tarde em Castanheira de Pera.

BCE já enviou donativo 

Entretanto, soube-se também que o Banco Central Europeu (BCE) transferiu hoje o seu donativo de 50 mil euros a favor da União das Misericórdias Portuguesas e da Liga Portuguesa de Bombeiros, precisamente devido a estes incêndios que devastaram a região centro de Portugal em junho.

Após as trágicas consequências dos incêndios florestais de junho em Portugal, o BCE decidiu dedicar o seu Fórum anual que decorreu em Sintra às vítimas e às suas famílias, e doar 50 mil euros para a União das Misericórdias Portuguesas e para a Liga Portuguesa de Bombeiros"

"Este montante é complementado por contribuições individuais dos participantes no Fórum BCE e de outros bancos centrais nacionais do Sistema Europeu de Bancos Centrais (ESCB na sigla inglesa)", acrescentou à Lusa o gabinete de imprensa do BCE.