O presidente do Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT), João Carvalho, reconheceu um erro informático no processo de emissão de novas matrículas automóveis, mas que «se encontra resolvido» desde o início da tarde de hoje.

Em declarações à agência Lusa, João Carvalho afirmou que aconteceu «uma falha no sistema informático do IMT» na madrugada, mas que se resolveu já hoje, acrescentando que estas são falhas normais que se devem «à transmissão de dados entre o IMT e a Autoridade Tributária», que têm sistemas informáticos diferentes.

Desde a semana passada que não há emissão de matrículas para novas viaturas devido a uma nova falha no sistema informático do IMT, noticiou a Antena 1.

Segundo a rádio pública, as principais associações do setor falam de cerca de 1.000 automóveis impedidos de circular devido a esta falha no sistema do IMT, verificada desde quinta-feira.

O secretário-geral da Associação Nacional das Empresas do Comércio e da Reparação Automóvel (ANECRA), Jorge Neves da Silva, citado pela Antena 1, disse que esta situação já está a afetar tanto os clientes como as empresas e garantiu que os problemas no sistema informático não são novos.

O presidente do IMT desvalorizou a questão e disse ser «normal» que estas situações aconteçam quando existem dados que «são transversais a vários ministérios».

João Carvalho explicou que o acerto de contas informático entre o IMT e a Autoridade Tributária é feito ao fim do dia e, «por vezes, no cruzamento dos dados há uma ou outra falha».