A emissão de matrículas pelo Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT) está de novo interrompida, uma semana depois do sistema informático ter retomado a operacionalidade, após três dias em baixo, confirmou esta sexta-feira a Lusa junto de fontes do setor.

Contatado pela Lusa, o secretário-geral da ACAP – Associação Automóvel de Portugal, Hélder Pedro, confirmou que «hoje não houve emissão de matrículas», o que há uma semana foi justificado com um problema técnico nas comunicações entre a Autoridade Tributária e o IMT.

Em declarações à Lusa, Jorge Neves da Silva, secretário-geral da Anecra - Associação Nacional das Empresas do Comércio e da Reparação Automóvel exigiu que sejam criadas condições para que as empresas do setor automóvel não sejam mais prejudicadas face à falta de fiabilidade do sistema.

«A Anecra está preocupada com a instabilidade que se está a gerar no setor automóvel e exige que, de uma vez por todas, seja criada fiabilidade do sistema», declarou, recordando que «dezembro é um mês de grandes vendas, sobretudo, havendo aumento dos impostos em janeiro».

A Lusa pediu esclarecimentos ao IMT, mas até ao momento não obteve respostas do organismo público.