O Governo de António Costa, tal como já tinha prometido, vai acabar com o chamado quociente familiar. A medida do anterior Executivo passa a contabilizar uma dedução fixa por cada filho, que será de 550 euros.

Assim, para cada ascendente que viva na mesma casa, a dedução será de 525 euros, caso não receba mais do que a pensão mínima. Na prática, isto resulta em mais 225 euros por filho, ou por pai ou avô face à dedução à coleta anual.

O Executivo cumpre assim a promessa de acabar com o quociente familiar – a grande mudança na reforma de IRS do anterior Governo – que o Partido Socialista sempre considerou injusta e regressiva e regressa assim ao modelo anterior, com deduções à coleta para todos os agregados.

Esta é uma medida que só vai afetar os contribuintes quando acertarem o imposto ao pagar ao Fisco em 2017.