O número de escalões de IRS vai voltar a aumentar. O programa do Governo previa uma maior progressividade do imposto, e a medida vai avançar gradualmente. Em 2018 já haverá pelo menos um novo escalão.

Em entrevista à SIC, o primeiro-ministro, António Costa, anunciou que o segundo escalão será dividido em dois. Assim, passará a haver um escalão intermédio entre o atual primeiro escalão (com rendimentos brutos mensais até aos 570 euros) e o segundo escalão (que atualmente vai dos 570 aos 1.630 euros brutos mensais).

O ministro das Finanças, Mário Centeno, tinha já anunciado que as alterações visavam beneficiar sobretudo os contribuintes que se encontram no segundo escalão, mas não revelou se todos serão beneficiados ou apenas alguns. De acordo com os últimos dados disponíveis, de 2016, havia 1,16 milhões de agregados familiares neste escalão.

A medida ainda está a ser negociada com os parceiros do PS no Parlamento. Seja como for, o executivo já fez saber que tem apenas 200 milhões de euros para este alívio do IRS. Se as alterações custarem mais, será preciso obter mais receita de outras fontes, ou cortar nas despesas.