A Câmara de Figueira de Castelo Rodrigo aprovou a redução do valor da taxa do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) a pagar pelas famílias com filhos, que pode atingir 20% para agregados com três ou mais dependentes.

"Aprovámos as taxas do IMI de 0,80% para prédios rústicos e de 0,30% para os urbanos, as mesmas de 2014, e a redução do valor a pagar pelas famílias nas taxas máximas possíveis", disse hoje à agência Lusa o autarca Paulo Langrouva (PS).

Segundo o presidente da Câmara Municipal de Figueira de Castelo Rodrigo, a proposta aprovada por unanimidade pelo executivo e pela Assembleia Municipal, prevê a redução da taxa do IMI, a pagar em 2016, em 10% para famílias com um dependente a cargo, de 15% para dois dependentes e de 20% para agregados familiares com três ou mais dependentes.

"Pensámos isto [a redução do valor da taxa do IMI a pagar pelas famílias com filhos e dependentes a cargo] numa medida de combinação com os apoios às famílias e à fixação de jovens e também em articulação com o apoio que damos em termos de apoio à natalidade. É a conjugação dessas medidas todas", justificou o socialista.

O autarca de Figueira de Castelo Rodrigo, um município do distrito da Guarda localizado junto da fronteira com Espanha, acrescentou que a medida representa "um alívio fiscal para as famílias, principalmente para as mais desfavorecidas e numerosas" do concelho.

"Sempre dissemos que o nosso lema é ‘cuidar das pessoas' e é nessa senda de preceito que estamos a trabalhar", disse.

Paulo Langrouva adiantou ainda à Lusa que a medida, que beneficiará 457 agregados familiares, vai implicar que em 2016 a Câmara Municipal de Figueira de Castelo Rodrigo arrecade menos cerca de 4.500 euros de impostos.