O governo irlandês decidiu recorrer da decisão de Bruxelas de exigir à Apple o pagamento a Dublin de 13 mil milhões de euros em impostos, anunciou um porta-voz do Ministério das Finanças da Irlanda.

"O governo foi unânime para recorrer da decisão", depois de uma aparente divisão governamental sobre o assunto. Será agora entregue um pedido no parlamento tendo em vista a aprovação desta deliberação.

A Comissão Europeia concluiu esta terça-feira que a Irlanda concedeu benefícios fiscais ilegais à Apple, ordenando a Dublin que recupere 13 mil milhões de euros à empresa tecnológica norte-americana por impostos não cobrados entre 2003 e 2014.

Tim Cook, presidente da empresa da maçã, já rebateu a decisão e disse ter pago 400 milhões de dólares (358,3 milhões de euros) em 2014.

A decisão da Comissão lançou o alerta nos restantes países da União Europeia. Portugal comunicou de imediato, através do Ministério das Finanças, estar a averiguar se a tecnológica norte-americana não terá também impostos a pagar ao Estado português.