As exportações cresceram 5,6% em maio face ao homólogo, bem menos que em abril, quando tinham disparado 16,8%, revelou o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Já as importações, recuaram, no mesmo mês, 3,2% face a maio de 2012, penalizadas sobretudo pela diminuição do comércio extra-comunitário, que caiu 8% após um aumento de 19,4% em abril.

Na comparação mensal, as exportações aumentaram 3,5% relativamente a abril, enquanto as importações subiram 0,8%.

Já em termos trimestrais, entre abril e maio, as exportações de bens aumentaram 5,7% e as importações diminuíram 1,6% face ao período homólogo, permitindo reduzir o défice da balança comercial em 910,2 milhões de euros.

O INE destaca, em termos de evolução trimestral, ao nível das grandes categorias económicas, o «acentuado aumento verificado nas exportações de combustíveis e lubrificantes (51,4%)».

Os produtos alimentares e bebidas e os bens de consumo também aumentaram (7,4% e 7,2%, respetivamente), enquanto as exportações de material de transporte e acessórios registaram uma diminuição de 8,3%, em particular os automóveis para transporte de passageiros (-16%).

Nas importações, em igual período, as maiores diminuições foram registadas nos combustíveis e lubrificantes (-5,8%) e nas máquinas e outros bens de capital (-3,4%)