As exportações chinesas recuaram 3,1% em junho, registando a maior queda desde 2009. As importações feitas pelo gigante asiático também baixaram 0,7%.

A quebra nas trocas comerciais, que apanhou os economistas de surpresa (apontavam para uma subida de 3,7% nas exportações e outra de 6% nas importações), sinaliza o abrandamento daquela que é a segunda maior economia do mundo.

O excedente comercial do país recuou dos 27,8 para os 27,1 mil milhões de dólares no mês em análise.